Quem somos

A Associação Guias e Escoteiros Católicos do Brasil – AGEBR, é um movimento de educação católico, complementar à família.

Associação Católica Fiel ao Magistério vivo da Igreja, em conformidade com as diretivas do Concílio Vaticano II, em plena comunhão com a Santa Sé e afiliada à União Internacional de Guias e Escoteiros da Europa – Federação do Escotismo Europeu – UIGSE-FSE, que possui Direito Pontifício.

 

Somos o Movimento Escoteiro Católico Brasileiro.

UMA ASSOCIAÇÃO ESCOTEIRA

O escotismo foi concebido no início do século XX pelo Lorde Baden-Powell, a partir de sua longa experiência com os jovens e de sua observação do comportamento dos meninos, de suas necessidades, de suas características psicológicas. Ele buscou formar jovens cidadãos felizes e úteis a seus países. O escotismo contribuiu, desse modo, na formação de milhões de meninos e meninas, há mais de cem anos.

Neste início do século XXI, a Associação Guias e Escoteiros Católicos do Brasil – AGEBR acreditou na pertinência do método escoteiro, que visa o desenvolvimento equilibrado de todas as dimensões da pessoa humana (corpo, alma e espírito) e que este responde às necessidades e expectativas dos jovens, ajudando-os a:

  • Amadurecer sua personalidade;
  • Desenvolver sua saúde física e moral;
  • Adquirir o sentido do concreto;
  • Saber colocar-se a serviço do próximo;
  • Descobrir o sentido de sua vida e aprofundar sua relação com Deus.

A pedagogia do escotismo é vivida na natureza, privilegia o lúdico, organiza-se em pequenas equipes autônomas e propõe uma educação diferenciada entre meninos e meninas, segundo as três faixas etárias (chamadas “ramos”). A vivência do escotismo, feita pelas e pelos jovens, apóia-se em confiar nos jovens; tal confiança esta fundada no compromisso assumido.

A cada um confia-se, em função de sua idade e de suas habilidades, responsabilidades que são exercidas no campo escolhido. Pouco a pouco, a criança e o adolescente aprendem a se tornar autônomos, a respeitar as regras do jogo e a uma regra de vida positiva a “Lei Escoteira”, a participar ativamente da vida de sua equipe (sentido de democracia, através da pedagogia dos conselhos), a comprometer-se a “Promessa Escoteira”, a desenvolver suas habilidades e a colocar-se a serviço do próximo.

Vemos no escotismo, um meio para chegar à perfeita comunhão com Deus, para reforçar sua presença em nossas almas, para crescer na amizade com Cristo e conquistar, enfim, a bem-aventurança eterna. O escotismo é visto como um caminho para ser perfeito “como o Pai Celeste é perfeito” (Mt 5, 48). O método escoteiro não é um adendo à fé católica, e sim um modo para mais perfeitamente professá-la.

A pedagogia do Escotismo católico apoia-se em três bases fundamentais: a fidelidade aos valores cristãos conforme preceituados pela Igreja Católica; a realização de atividades separadas por segmentos distintos (masculino e feminino), sem prática da coeducação; e o cultivo de uma relação fraterna com outras associações escoteiras praticantes do escotismo confessional católico conforme proposto pela UIGSE-FSE, bem como outras associações escoteiras que de boa vontade seguem o 4º Artigo da Lei: “O Escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais Escoteiros”.

 

O Escotismo Católico praticado pela AGEBR é fiel aos princípios herdados pelo fundador, Sir Robert Baden-Powell, e alargados pelo venerável Padre Jacques Sevin, SJ preservando em sua aplicação os aspectos fundamentais da prática escoteira, como: sistema de patrulhas, corte de honra, progressão por etapas bem definidas, conquista de distintivos, vida mateira, responsabilização real de seus membros, aprendizado e cumprimento da Lei e da Promessa do Escoteiro, etc.

Podemos dizer que o objetivo do escotismo católico é ajudar a cada jovem a dirigir sua vida para que seja capaz de exercer um papel útil no mundo que o rodeia, na sociedade e na Igreja.

A vida do escoteiro católico não tem sentido se não desemboca no serviço a Deus e ao próximoO Escotismo ensina os jovens a se tornarem cidadãos do amanhã e a serem capazes de assumir responsabilidades. Desde a infância à adolescência, desperta-os para as necessidades da sociedade e os faz descobrir que podem desempenhar um papel concreto e útil. O serviço aos outros está no seio da vida escoteira.

Baden-Powell definiria o Escotismo como “o civismo na escola dos bosques”.

“Semper Parati” é o lema dos exploradores que bem expressa essa vontade de servir – Sempre Pronto.

UMA ASSOCIAÇÃO CATÓLICA

A AG&E tem por base essencial a dimensão cristã de sua pedagogia.

Conforme a tradição do escotismo católico, a AGEBR é aberta a todos os que desejam participar de suas atividades. A pedagogia da fé, como toda pedagogia do escotismo, está sob responsabilidade dos adultos – chefes, que se comprometem a alimentar e a desenvolver a vida espiritual dos jovens, a fim de acompanhá-los no caminho da santidade e prepará-los para tomar seu espaço na Igreja. Cada grupo é regularmente acompanhado por um Conselheiro Religioso, um padre da Diocese local.

A vida cristã está intimamente integrada à vida escoteira tal como foi concebida pelo Padre Jacques Sevin, que enriqueceu o método de Baden-Powell desde os anos 1920, na França.

“O encontro entre o método do escotismo e as intuições do Padre Jacques Sevin permitiu a elaboração de uma pedagogia baseada nos valores evangélicos, onde cada jovem é conduzido ao amadurecimento e ao desenvolvimento de sua personalidade, fazendo frutificar os talentos que traz em si” (São João Paulo II, Carta Apostólica aos Responsáveis da Conferência Internacional Católica do Escotismo, CICS, setembro de 1998).

A associação, como membro da Federação do Escotismo Europeu, adere plenamente aos ensinamentos pastorais do Concílio Vaticano II, em filial obediência à Igreja e ao Papa, sempre em contato, cheio de confiança, com os Bispos, que frequentemente participam de seus grandes encontros. As numerosas vocações sacerdotais e religiosas nascidas ou desenvolvidas entre seus membros testemunham a fecundidade de sua vida eclesial. A AG&E participa em suas Dioceses das atividades que reúnem os jovens cristãos de diferentes movimentos e paróquias. As guias maiores e os caminheiros participam em grande número das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ).

Em 1975, o trabalho UIGSE-FSE foi saudado pelo Papa São Paulo VI. Em 1994, o Papa São João Paulo II recebeu em Roma 7500 jovens da UIGSE-FSE.

No dia 26 de agosto de 2003, a Santa Sé reconheceu a União Internacional dos Guias e Escoteiros da Europa – Federação do Escotismo Europeu (FSE), como uma associação privada internacional de fieis de direito pontifício, dotada de personalidade jurídica, conforme os Cânones 298-311 e 321-329 do Código de Direito Canônico.

 

UMA ASSOCIAÇÃO CIDADÃ

Baden-Powell definiu o escotismo como o “civismo em meio à natureza”. O movimento é aberto a todas as crianças e jovens, sem distinção de origem, cultura ou meio social, e ensina os jovens a se tornar cidadãos do amanhã, capazes de assumir responsabilidades. Desde a infância, ou a adolescência, ele (o escotismo), desperta os jovens para as necessidades sociais e os faz descobrir que eles podem exercer um papel concreto e útil na sociedade. É o sentido dos diferentes “serviços” e “postos de ação”: cada um assume a responsabilidade por uma parte da vida da microsociedade que é sua equipe (a patrulha), a fim de que o grupo possa ter êxito nas atividades escolhidas.

Por meio de atividades específicas, os jovens também exercem diretamente atividades a serviço do próximo, como, por exemplo: animação de atividades em asilos, ou em hospitais de crianças, participação em grandes operações caritativas ou humanitárias, limpeza de praias, após uma maré negra, ajuda às pessoas que perderam suas moradias após uma tempestade, operações de reflorestamento, etc…

A AGEBR dá uma atenção toda especial aos jovens desfavorecidos ou com necessidades especiais, por meio de sua integração no seio das unidades e pelo desenvolvimento de meios apropriados: formação dos chefes e adaptação de certas atividades. A acolhida de um jovem com necessidades especiais é sempre uma ocasião de educação para o convívio com o diferente e para a abertura de coração.

Paralelamente, a Associação Guias e Exploradores do Brasil é comprometida com a proteção da natureza e do meio-ambiente.


 

Clique nas opções abaixo para conhecer mais sobre nós:

História

Nossa insígnia

Modalidades

A Pedagogia

Decreto Pontifício