Lord Baden-Powell

ROBERT STEPHENSON SMITH BADEN- POWELL, conhecido como B-P, foi o fundador do Escoteirismo. Ele nasceu em 22 DE FEVEREIRO DE 1857, em Londres, e seu pai morreu quando ele era ainda muito jovem. Sua mãe cuidou da educação dos filhos e B-P passava longo tempo de sua infância a navegar nos rios e a explorar matas e florestas com seus irmãos. Foi nessa época que ele adquiriu seu amor pela natureza e pela criação de Deus.
De personalidade espontânea e alegre, B-P gostava de jogos e brincadeiras, de música e de teatro, o que influenciou muito na criação dos Fogos de Conselho do escoteirismo. Já adulto, ele tornou-se militar e rapidamente foi promovido a altos postos de comando por sua eficiência. Em 1896, ele foi enviado à África para experimentar o que chamou de “a melhor aventura” de toda sua vida. Os “Matabeles” (nativos) deram-lhe o apelido de “IMPISA”, que significa “o lobo que nunca dorme”.
Na cidade sul africana de Mafeking, durante a Guerra dos Bôeres, B-P comandou as tropas britânicas durante quase 300 dias em que todos ficaram cercados pelos inimigos (evento conhecido como CERCO DE MAFEKING, entre outubro de 1899 e maio de 1900), enquanto aguardava reforços vindos da Europa. Nessa ocasião, ele usou adolescentes como mensageiros dentro da cidade sitiada, a fim de manter os homens adultos em ação de combate. B-P fez isso porque percebeu como os meninos são úteis e como eles conseguem assumir seriamente as responsabilidades que lhes são confiadas. Os “Cadetes de Mafeking”, nome dado ao pelotão de adolescentes, contribuíram muito para a vitória neste cerco. Ao voltar à Inglaterra, ele foi aclamado pela população como um grande herói.

A Criação do Escoteirismo

A partir de sua experiência de Mafeking, e constatado o sucesso de seu livro “Aids to Scouting” (“Auxílios para Exploração”, em tradução livre, de 1899), destinado a ensinar técnicas mateiras aos membros do exército, mas que acabou caindo no gosto da juventude britânica, B-P põe-se a pensar num novo método educacional voltado para a juventude. Dentre vários motivos, o principal, segundo ele mesmo, era o grande risco de decadência a que os jovens de seu país estavam submetidos, sem haver quem lhes dirigisse o espírito à pratica da civilidade e do serviço ao próximo. Após anos de reflexão a esse respeito, em 1907 ele decidiu realizar um acampamento experimental na ILHA DE BROWNSEA, ao sul da Inglaterra, entre os dias 25 de julho e 09 de agosto (mais de 15 dias!). Os participantes eram meninos vindos de várias classes sociais. Eles eram os “aventureiros iniciantes”, organizados em quatro patrulhas: Corvo, Maçarico, Lobo e Touro.
O acampamento foi um sucesso. No ano seguinte, em 1908, B-P lançou – inicialmente em fascículos e posteriormente como um livro – a obra que seria o responsável pela popularização do Escoteirismo ao redor do mundo: ESCOTISMO PARA RAPAZES. É importante lembrar que B-P, inicialmente, não tinha a intenção de criar um Movimento, mas o sucesso de seu livro foi tanto que, em breve, Patrulhas surgiram espontaneamente por toda a Inglaterra e até mesmo em outros países, formadas por jovens que leram a obra e queria colocar seus ensinamentos em prática!
Em 1909, menos de dois anos depois do acampamento de Brownsea, alguns membros da Marinha Brasileira chegam ao Rio de Janeiro a bordo do encouraçado Minas Gerais, trazendo uniformes, insígnias e livros sobre o Escoteirismo, fundando, meses depois, a primeira associação escoteira brasileira: o Centro de Boy Scouts do Brasil, hoje não mais existente. Em 1910, a pedido do Rei Jorge V, Baden-Powell deixou o exército e passa a se dedicar exclusivamente à organização do Movimento Escoteiro, viajando ao redor do mundo para cumprir esta missão.

Expandindo os horizontes

Com o passar dos anos, ele conheceu muitas pessoas que se entusiasmaram com o Movimento Escoteiro e contribuiriam bastante para seu crescimento ao redor do mundo. Uma dessas pessoas foi foi LADY OLAVE, que viria a tornar-se sua esposa e organizaria o segmento feminino do Escotismo.
Outra pessoa de fundamental importância foi o padre francês JACQUES SEVIN, que identificou “pequenas perfeições do Evangelho” no método escoteiro, e quis então usá-lo como instrumento de evangelização dos jovens católicos em seu país. Nascia assim o ESCOTEIRISMO CATÓLICO, que anos depois, em 1956, viria a ter uma associação mundial própria, a FSE (FEDERAÇÃO DE ESCOTEIRISMO EUROPEU), ligada à UIGSE (UNIÃO INTERNACIONAL DE GUIAS E ESCOTEIROS DA EUROPA), RECONHECIDAS PELO VATICANO como praticantes do Escoteirismo legitimamente católico DESDE 2008.
Em 1920, B-P compareceu ao primeiro JAMBOREE mundial, um encontro que reuniu escoteiros de quase todo o mundo. Lá, no dia 6 DE AGOSTO, ele foi aclamado como “CHEFE ESCOTEIRO (EXPLORADOR) MUNDIAL”. É por isso que até hoje, nessa data, se comemora o Dia do Chefe Escoteiro. Durante muitos anos B-P manteve correspondência com pessoas de todo o mundo e ajudou o escoteirismo a se consolidar como o maior movimento de jovens que já existiu.
Com mais de 80 anos de idade, ele se retirou ao Quênia, na África, continente que ele tanto amava. Numa cabana chamada por ele de “PAXTU”, que significa “PAZ PARA DOIS”, Baden-Powell viveu o restante de seus anos na companhia de sua esposa Olave.
B-P morreu no Quênia no dia 8 DE JANEIRO DE 1941, e foi enterrado num cemitério em Nyeri, no Quênia. Seu túmulo é visitado todos os anos por milhares de membros do Movimento Escoteiro de todo o mundo.